Pedreiro Online, personagem que ensina cantadas no twitter, faz morrer de rir!

Com mais de 150 mil seguidores, o “Pedreiro Online” é uma das arrobas mais engraçadas do Twitter. Com muito charme, o personagem encarna a profissão mais famosa de “xaveco“.  “GATA, QUER OUVIR O BARULHO DO MAR? ENTÃO VEM DORMIR DE CONCHINHA COMIGO, SUA LINDA!” é apenas um exemplo de cantadas que fazem você morrer de rir ao seguir o perfil @pedreiro_online.

E se você acha que pedreiros e homens comandam o perfil, engana-se!! Por trás do perfil estão duas meninas! Bianca Muller (@BicMuller) e Joyce Falete (@Joycelular) são as responsáveis pelas mensagens que em menos de um ano já colecionam muitos fãs. São cerca de 800 novos seguidores por dia!

Sempre em caixa alta, começando com “gata” e terminando com “sua linda”, os tweets criados pelas meninas fazem um imenso sucesso, alcançando os TT’s (Trending Topics) do Brasil oito vezes, sendo quatro destas em 1º lugar.

As autoras do perfil comemoram o sucesso: “A parte mais legal disso tudo é receber e-mails do pessoal agradecendo, pois com uma cantada do pedreiro finalmente conseguiram quebrar o gelo com uma garota ou de meninas que dizem que os namorados estão mais criativos ao mandar declarações para elas

Anúncios

célula-tronco poderá substituir a prótese de silicone

O cirurgião austríaco especialista em tratamento regenerativo e estético com células-tronco, Karl-Georg Heinrich, divulgou uma técnica de aumentar os seios: tirar um pouco de gordura onde for indesejada e aplicá-la nos seios.

Ao invés de próteses de silicone, a gordura é lipoaspirada das nádegas, quadris e coxas das pacientes, enriquecidas com células-tronco e injetadas sob a glândula mamária e a pele.

Essa cirurgia é indicada para mulheres que enfrentaram a reconstrução mamária depois do câncer. Dispensa silicone e não deixa cicatriz. A gordura retirada é tratada com enzimas e centrifugada pela máquina Celution System até que as células-tronco sejam isoladas e misturadas com uma pequena quantidade de gordura e reinjetadas com seringas nos seios.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Sebastião Guerra, ainda não existe um acompanhamento do procedimento a longo prazo. “As células-tronco são muito mais usadas nas regenerações do que na cirurgia plástica. “Os benefícios da utilização da célula-tronco já foram comprovados diversas vezes por especialidades da medicina. Apesar de alguns profissionais já manifestarem esta utilização, ainda não está mundialmente comprovado seu sucesso, sendo um assunto muito discutido entre as especialidades de cirurgia plástica e mastologia.”

Dr. Sebastião explica que as mulheres que apresentam qualquer distúrbio mamário, mesmo como os mais simples, as displasias mamarias (mama com pequenos cistos), não devem fazer a cirurgia. “A utilização das próteses de silicone na atualidade é um procedimento mais simples, de curta duração, mais prático e mais seguro. Comprovadamente não causa câncer de mama e pode ser retirada em quaisquer momentos, diferente do enxerto de gordura, que é um procedimento mais complexo e demorado. Sendo assim, ainda carece de uma avaliação de resultado a longo prazo.”

A vantagem do novo método é a não rejeição da gordura, por ser um material da própria pessoa. E as desvantagens são as possíveis calcificações dessa mesma gordura, além de poder apresentar falsos diagnósticos e certa complexidade no grande aumento das mamas.

Fonte: Terra

Metade dos homens terminaria com parceira que ganhasse peso

Quase metade dos homens entrevistados na pesquisa, conduzida com 70 mil pessoas, disse que terminaria com uma parceira que ganhasse peso, contra apenas 20 por cento das mulheres que fariam o mesmo.

Apenas 18% das mulheres disseram que gostariam que seu parceiro fosse mais bem dotado, mais de 51 por cento dos homens entrevistados revelam que gostariam de sê-lo.

A pesquisa também revelou que 39% dos homens apontam a família como sua primeira opção em matéria de símbolo máximo de status. Já entre as mulheres, 43% citaram uma casa bonita, contra apenas 6,5% dos homens. Um quarto das mulheres citou um parceiro bem sucedido como seu símbolo máximo de status.

Homens e mulheres divergiram quanto a pagar a conta em seus encontros, pelo menos na fase inicial de um relacionamento. Mais mulheres — 38 % — acham que devem pagar por suas próprias despesas, contra 33% para quem é o homem quem deve pagar a conta. Mas 59% dos homens acham que devem pagar a conta, pelo menos enquanto o relacionamento não estiver consolidado.

As mulheres se mostram muito menos à vontade com a ideia de seus parceiros continuarem a manter contato com sua ex. Mais de dois terços dos homens não se importam se sua parceira é amiga do ex dela no Facebook, contra 38%  das mulheres. Dois terços dos homens disseram já ter tido fantasias com as amigas de suas parceiras.

Fonte: Reuters/UOL

Amy Winehouse – 1983/2011

Morreu no início da tarde deste sábado (23) a cantora britânica Amy Winehouse, aos 27 anos. O corpo foi encontrado em seu apartamento após o serviço de emergências ter sido chamado por volta do meio-dia (pelo horário de Brasília, meio da tarde em Londres). A suspeita é de overdose.

A morte de Amy Winehouse aos 27 anos coloca ponto final em uma das mais inconstantes trajetórias da música contemporânea. Com talento vocal impressionante, a cantora britânica foi unanimidade em duas características opostas: talento e polêmicas. Com capacidade vocal inquestionável, suas performances eram apenas atrapalhadas por seu principal problema: o abuso de álcool e drogas.

25% dos operados com câncer têm menos de 50 anos.

Pesquisa realizada pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP, apontou que 25% dos pacientes oncológicos operados na unidade têm menos de 50 anos. O estudo mostra ainda que, do total de cirurgias oncológicas, a maioria é em mulheres, somando 51,5%. Na análise exclusiva dos que tem até 49 anos, o público feminino também é maioria, representando 64% dos casos.

De acordo com o levantamento, a principal especialidade cirúrgica utilizada é a urologia, responsável por 28% de todos os procedimentos realizados. Em seguida, estão as especialidades de cabeça e pescoço (11%), aparelho digestivo (8,5%), ginecologia (8,5%), mastologia (7%), toráxica (5%) e ortopédica (2%). Além disso, cirurgias plásticas reparadoras são responsáveis por 8% dos procedimentos cirúrgicos.

O estudo mostra ainda que 30% dos pacientes submetidos a uma cirurgia de câncer têm mais de 70 anos; 27% têm entre 60 e 69 anos; e 24% tem entre 50 e 59 anos. Considerados jovens, os pacientes com menos de 50 anos somam 25% de todos os operados. A maior parte deles está concentrada na faixa etária de 40 a 49 anos (14%), seguida por aqueles que têm entre 30 e 39 anos (6%). Pacientes com idade entre 20 e 29 anos correspondem a 4% dos que foram submetidos à cirurgia e os que têm até 19 anos representam 2% dos operados.

“Esse levantamento mostra claramente que a ideia de que o câncer afeta somente os pacientes mais velhos está errada. Por isso é sempre muito importante que as pessoas, independente da idade, façam os exames de rotina regularmente e procurem o médico de sua confiança sempre que notarem alguma anormalidade com a saúde”, alerta o oncologista e diretor Geral do Icesp, Paulo Hoff.

Fonte: estadao.com.br

Estudo mostra que diabete já atinge 10% da população mundial

Pesquisa em 200 países indica que a doença virou epidemia global. Incidência é maior em países em desenvolvimento.

Quase 10% de toda a população mundial adulta tem diabete, e a incidência da doença está aumentando rapidamente. Como ocorre nos Estados Unidos e em outros países desenvolvidos, a falta de atividade física e a obesidade da população representam as principais causas do problema também nos países em desenvolvimento, como a Índia e parte da América Latina, do Caribe e do Oriente Médio.

Essa é a conclusão de um estudo publicado no final de semana pela revista médica Lancet, que acompanhou nas últimas três décadas os padrões no desenvolvimento da diabete e os valores médios das leituras do nível sanguíneo de açúcar em cerca de 200 países e regiões. A pesquisa traz a previsão de grandes custos e do fardo das complicações físicas nos próximos anos do século, pois a doença aumenta o risco de a pessoa sofrer ataque cardíaco, insuficiência renal, cegueira e certos tipos de infecção.

“O estudo confirma aquilo que muitos suspeitavam: a diabete se tornou uma epidemia global”, disse Frank Hu, epidemiologista da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, que não participou dos trabalhos. “Isso tem o potencial de sobrecarregar os sistemas de saúde de muitos países, principalmente aqueles em desenvolvimento.”

Incidência. Em todo o mundo, a incidência da diabete em homens com mais de 25 anos aumentou de 8,3% em 1980 para 9,8% em 2008. Para as mulheres com mais de 25 anos, o aumento foi de 7,5% para 9,2%.

Veja quadro com as projeções de crescimento da doença até 2030 em http://www.estadao.com.br/especiais/o-ranking-do-diabete,16870.htm


63,7% acreditam que cor ou raça influencia na vida das pessoas

Principal situação em que isso acontece, segundo os entrevistados pelo IBGE, é no trabalho, citado por 71%

Os resultados do estudo “Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça”, realizado em seis Estados. Segundo a pesquisa, mais da metade dos entrevistados (63,7%) disseram que a cor ou raça influencia a vida das pessoas.

A principal situação em que isso acontece, segundo os entrevistados, é no trabalho, citado por 71%, seguida por “relação com justiça/polícia” (68,3%), “convívio social” (65%), “escola” (59,3%) e “repartições públicas” (51,3%). No Distrito Federal, que teve os maiores porcentuais e percepção de influência de cor ou raça, 86,2% dos entrevistados citaram trabalho, e 74,1%, a “relação com justiça/polícia”. Na Paraíba, 49,5% acreditam que a questão influencia no “casamento”.

As informações foram coletadas em 2008, em uma amostra de cerca de 15 mil domicílios, no Amazonas, Paraíba, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Distrito Federal. Dos entrevistados, 96% afirmaram que saberiam se autoclassificar de acordo com a cor ou raça.

Fonte: estadao.com.br